Expo Deriva — As imagens e as impressões de quem já derivou conosco.

Sandra Pantaleão "O patrimônio que se ajusta ou se degrada. Perceber os sutis detalhes que escondem ou inibem a presença da memória na cidade.O ar condicionado, a depredação, o abandono....imagens que nos colocam à deriva dos bens que fazem parte da paisagem urbana! Um alerta e um registro de detalhes do nosso cotidiano desapercebido."
Gera Lobo "A Deriva foi algo que nunca havia experimentado em minha propria cidade, foi uma descoberta do Centro de Goiânia tão esquecido por quase todos, menos pelos que lá vivem."
Beatriz Perine "A deriva me serviu como uma boa lição, do tipo que me encoraja a andar por aí carregando minhas câmeras, prestando mais atenção aos detalhes, esquecendo do tempo. O mais incrível foi surpreender-me com aspectos do centro, que eu julgava, no mínimo, meio conhecido por mim. Aposto que futuramente, repetindo toda a caminhada, novos detalhes me instigariam e, julgando pelo movimento incessante do centro, isso seria sem fim. Foi uma experiência ótima e, como li por aqui, que venham as próximas.
Marcos Lafytte "A Deriva, foi uma oportunidade de conhecer pessoas, viver fotografias... e também de representar lugares e formas que nem todos percebem." 
Marcelina Gorni "A Deriva para mim sempre foi e é uma oportunidade ímpar de imprimir um novo olhar sobre paisagens corriqueiras. Colocar-se à disposição das circunstâncias a fim de encontrar novos pontos de vista sobre o cotidiano frenético da cidade. Trata-se de um treino do olhar, um treino da nossa própria capacidade de observação, de percepção, e de (re)criação - no sentido de inventar e de gerar lazer, satisfação - sobre a realidade que nos cerca. Refletindo sobre os ensinamentos de Heráclito: nunca somos a mesma pessoa, nunca é a mesma cidade."
Sérgio Moura "A Deriva Fotográfica além de ter sido um passeio inédito num caminho já percorrido inúmeras vezes, foi solidário e me aguçou o desejo de encontrar os detalhes da vida cotidiana." 
Chris Ataide "Deriva do Bem... nome melhor não há para descrever esse evento, digo, em todos os sentidos. Foi uma experiência única poder (re)descobrir e (re)visitar o Centro de Goiânia com outro foco. Que delícia descer a Avenida Goiás acompanhada por pessoas que estavam ali com o mesmo intuito, turismo, é claro (risos...). A Deriva foi um grande convite pra parar e reparar a cidade, no seu vai vem que é frenético, na bagunça que é perfeitamente organizada e no que existe de melhor por lá, as pessoas. Em uma palavra: foi sensacional."
Wallace Anderson "Participar do DERIVA DO BEM foi um sonho realizado. Acho que é sonhar grande sair com um grupo de amantes da arte da fotografia, em uma manhã gostosa de maio, depois de se doar um pouco. E deixar o olhar passear, reparar o berço da nossa Goiânia e eternizar num .CLICK. Foi um prazer. Que venham os próximos."
W. Leão Ogawa "Experimentar o estático com o dinâmico sob um olhar mais cuidadoso: no sentido de observação dos espaços, das proporções, das formas, texturas; acrescido à vivência, ao sentimento, ao propósito de ir e à interpretação subjetiva do contexto coletivo." 
Jeane Oliveira "Esta experiência foi, sem dúvidas, uma das melhores que já tive. Depois de morar 15 anos fora do país, tive a oportunidade de me conectar com pessoas maravilhosas e também com a cidade onde nasci. Dentre 200 fotos, escolhi algumas onde percebi, que em meio à barulhos, movimentos, agitações, onde muitos estão indo e vindo e alguns até evitam ir (o centro da cidade), outros conseguem parar e sentir a serenidade, onde surgem os pensamentos, as observações e cuidam de suas aparências."